(11) 97243-7073

comercial@waterloo.com.br

Comercial

Ação Antrópica e Contaminação Ambiental

#APRENDACOMAWATERLOO!

Entenda mais sobre Ações Antrópicas: 

Ações antrópicas se referem às ações ou atividades realizadas por seres humanos que têm um impacto significativo no meio ambiente, nos ecossistemas e no planeta como um todo, ou seja, são as ações causadas pelo ser humano que têm um impacto direto ou indireto na natureza.

Existem várias ações antrópicas negativas e que prejudicam o planeta de maneira significativa. Como mostramos no glossário acima, confira melhor sobre elas a seguir:

– Desmatamento: É a remoção deliberada de florestas e vegetação natural. Isso causa a perda de habitats, a diminuição da biodiversidade e contribui para as mudanças climáticas, uma vez que as árvores armazenam carbono; 

– Incêndios Florestais: São eventos de fogo descontrolado que se espalham rapidamente em áreas naturais, como florestas, matas e vegetação densa. Eles ocorrem devido a fatores como secas, altas temperaturas, faíscas de origens naturais ou humanas e podem causar danos significativos ao meio ambiente, à vida selvagem e à propriedade; 

– Poluentes Atmosféricos: São substâncias liberadas na atmosfera, muitas vezes por atividades humanas, que podem causar poluição do ar e afetar sua qualidade. Poluentes como dióxido de enxofre (SO2), óxidos de nitrogênio (NOx), partículas em suspensão e compostos orgânicos voláteis (COVs), impactam negativamente a saúde humana e o meio ambiente; 

– Poluição causada por veículos motores: Refere-se à emissão de substâncias poluentes, como dióxido de carbono (CO2), óxidos de nitrogênio (NOx) e partículas finas, resultantes da queima de combustíveis fósseis, como gasolina e diesel, em automóveis, caminhões e motocicletas; 

– Chuva Ácida: É a precipitação de água que contém ácidos, como ácido sulfúrico e ácido nítrico, devido à poluição do ar por emissões de gases poluentes, como dióxido de enxofre (SO2) e óxidos de nitrogênio (NOx). Esses ácidos podem danificar o meio ambiente, causando danos a plantas, corpos d’água e estruturas, além de afetar negativamente a saúde humana; 

– Pecuária intensiva: É um sistema de criação de animais que se caracteriza pela produção em larga escala que envolve, uso intensivo de recursos, como alimentos concentrados e medicamentos, e frequentemente mantém os animais em espaços confinados. O objetivo é maximizar a produção de carne, leite, ovos ou outros produtos de origem animal, mas isso pode prejudicar a saúde do animal, a poluição ambiental e o uso intensivo de recursos naturais.  

– Disposição de Resíduos: A disposição inadequada de resíduos/lixo em lixões e aterros controlados, contribui para a poluição do solo e da água, criando assim problemas ambientais e de saúde pública. Falando em Aterro Sanitário como é exemplificado na imagem, embora os aterros sanitários sejam uma solução comumente usada para a disposição final de resíduos sólidos/lixo, é importante que sejam planejados, ecológicos e monitorados para minimizar seus impactos negativos no meio ambiente e na saúde pública. Medidas como a coleta de gases de aterro, a impermeabilização do solo, a gestão de águas pluviais e a monitorização ambiental são essenciais para mitigar os problemas de poluição associados aos aterros sanitários. Além disso, a redução na geração de resíduos e o aumento da reciclagem são estratégias importantes para reduzir a quantidade de resíduos que precisam ser descartados nos aterros, afinal de acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos 12.305, de 2 de agosto de 2010, somente o rejeito deve ser direcionado ao aterro; 

– Fertilização do solo: A fertilização do solo tem impactos negativos quando é usada em excesso, levando à lixiviação de nutrientes para cursos d’água, causando a poluição da água e a proliferação de algas tóxicas. Assim também, contribui para a emissão de gases de efeito estufa e a degradação do solo, prejudicando a saúde dos ecossistemas.

Essas ações têm consequências ambientais significativas e podem contribuir para problemas globais, como a perda de biodiversidade, a mudança climática, a degradação do meio ambiente e a escassez de recursos naturais.
Da mesma forma que as ações do ser humano podem ter efeito negativo ao meio ambiente, também pode contribuir para o seu desenvolvimento ambiental por meio de vários outros tipos de ações positivas, tais como:

Ações Antrópicas Benéficas para o Planeta:

– Reflorestamento e Arborização Urbana: Plantar árvores e restaurar florestas ajuda a recuperar habitats naturais, aumentar a biodiversidade e capturar carbono da atmosfera; 

– Conservação de Espécies Ameaçadas: Programas de conservação visam proteger e preservar espécies em risco de extinção por meio de medidas como a criação de reservas naturais e a reprodução em cativeiro; 

– Reciclagem e Gestão de Resíduos: Reciclar materiais, reduzir o desperdício e adotar práticas de gestão de resíduos eficientes contribuem para a redução da poluição do solo e da água; 

– Energias Renováveis: Investir em fontes de energia limpa, como solar, eólica e hidrelétrica, reduz a dependência de combustíveis fósseis e as emissões de gases de efeito estufa; 

– Uso Sustentável da Água: Práticas de conservação da água, como a captura de água da chuva e a irrigação eficiente, ajudam a preservar recursos hídricos; 

– Desenvolvimento de Tecnologias Ambientalmente Amigáveis: A pesquisa e o desenvolvimento de tecnologias verdes e sustentáveis contribuem para a redução da poluição e do consumo de recursos; 

– Educação Ambiental: Promover a conscientização e a educação sobre questões ambientais leva a um comportamento mais responsável em relação ao meio ambiente; 

– Preservação de Áreas Naturais: Estabelecer parques nacionais, reservas naturais e áreas de conservação ajuda a proteger ecossistemas naturais;

– Práticas Agrícolas Sustentáveis: Agricultura orgânica, rotação de culturas e práticas agrícolas sustentáveis ajudam a preservar a qualidade do solo e reduzir o uso de pesticidas; 

– Estudos Ambientais: Aplicação do Conhecimento humano no desenvolvimento de estudos e tecnologias para reverter ou reparar danos ambientais, como o processo de reabilitação de áreas contaminadas.  

 Em resumo, o ser humano possui o poder tanto de degradar o meio ambiente quanto de liderar sua reconstituição; é nossa escolha que determinará o legado que deixaremos para as gerações futuras. 

Se você busca soluções ambientais para o seu caso, aqui você encontrará os melhores especialistas do mercado. Entre em contato agora e conheça nossa equipe! 

WHATSAPP/TELEFONE: (11) 97243-7073

Estudo de
Viabilidade Ambiental

O estudo de viabilidade ambiental é uma atividade em que a Waterloo avalia o imóvel e verifica se há possibilidade de empreender no mesmo e quais são as restrições que poderão ser impostas ao empreendimento. Como resultado é elaborado um relatório com mapas indicando as restrições as quais o imóvel estará exposto e uma sobreposição do empreendimento à estas restrições.

+ de 150
processos executados

Objetivo:

O estudo de viabilidade ambiental inclui o levantamento das peculiaridades ambientais de uma área onde há a intenção de implantar uma atividade empresarial, de forma a avaliar a capacidade de suporte do meio ambiente em acolher o empreendimento proposto.​

Licenciamento
Ambiental

Para a operação de uma empresa são necessários diversos estudos como o Relatório Ambiental Simplificado (RAS), Relatório de Impacto na Vizinhança (RIV), Estudo de Impacto Ambiental – Relatório de Impacto ao Meio Ambiente (EIA/RIMA), Memorial de Caracterização (MCE) entre outros. A Waterloo está capacitada para elaborar dos licenciamentos mais simplificados aos mais complexos para garantir a operação da empresa.

+ de 500
licenças administradas

Escopo:
 RIV
 PRAD
RADA
EIA RIMA
Monitoramento de fauna
Plano básico ambiental (PBA)
Plano de gerenciamento de resíduos sólidos (PGRS)
Relatório de  atendimento a condicionantes
RCA – Relatório de Controle Ambiental
RAMA – Relatório, acompanhamento e monitoramento ambiental
RTGA – Relatório técnico de garantia ambiental
PAE – Plano de atendimento à emergência

Gestão
de Licenças

A Waterloo possui uma equipe qualificada para realizar o acompanhamento do licenciamento da empresa. Esta equipe realiza o acompanhamento da validade das mesmas e o processo de renovação. Quando solicitado pelo cliente esta equipe também está preparada para acompanhar as condicionantes e preparar os relatórios necessários para os órgãos competentes.

+ de 500
licenças administradas

Escopo: 
Licenças Ambientais (LP, LI e LO)
IBAMA (CadastrosTaxas e RAPP)
Resíduos (CADRI, Inventários, , SINIR, SIGOR, )
Cadastros junto a Polícia Civil,  Federal e o exército
Outorgas e  Alvarás
AVCB
Conselho de Classe, entre outros.

Desativação de Unidades Industriais

O Estado de São Paulo, bem como alguns outros estados, exige que no encerramento das atividades a empresa elabore um plano de desativação e um posterior relatórios de desativação.

O objetivo do plano é definir a destinação que será dada a todos os equipamentos, materiais, produtos químicos, resíduos e estruturas do imóvel.

Após a desativação efetiva da empresa deverá ser elaborado um relatório de desativação informando se as ações do plano foram implantadas ou se houveram modificações.

Nesta fase pode ser necessária também a execução de uma avaliação preliminar e investigação confirmatória com o objetivo de demonstrar se as atividades da empresa alteraram a qualidade ambiental do local ou não.

+ de 50
projetos

Escopo: 
Plano de Encerramento e Desativação
Acompanhamento da Desativação
Relatório de Desativação
Obtenção do Termo de Encerramento

2nd
Opinion

Estes trabalhos têm como objetivo revisar relatórios e estudos elaborados por outras consultorias e a emissão de um parecer técnico sobre o atendimento dos mesmos à legislação vigente. Estes trabalhos também podem identificar etapas novas que possam ser necessárias para a execução em uma área para sua mudança de uso i.e..

+ de 80
processos executados

Objetivo:
Revisão e avaliação de documentação e relatórios ambientais 

Escopo:​
 Revisão de relatórios ambientais e Pareceres técnicos

Elaboração de informe técnico contendo a validação dos estudos anteriores já executados e um resumo das recomendações para as etapas posteriores

Estimativas de custos para próximas etapas, e elaboração de matriz de risco

Monitoramento para
Encerramento

Esta atividade tem como objetivo monitorar o local, após avaliação de risco ou implantação do plano de intervenção, com a finalidade de verificar que as plumas identificadas se mantêm estável ou estão diminuindo e não vem a causar mais risco para as pessoas que convivem na área de interesse.

+ de 500
processos executados

Objetivo:
Coletar de dados, estudar e acompanhar continuamente das variáveis ambientais, identificar e avaliar – qualitativa e quantitativamente – as condições dos recursos naturais em um determinado momento, assim como as tendências ao longo do tempo que para adicionar texto.

Remediação
Ambiental

implantação de técnicas para a remoção da massa de contaminantes do local. A Waterloo está preparada para implantação de diversos tipos de técnica de remediação como extração multifásica, injeção de agentes oxidantes, injeção de agentes redutores, implantação de termal entre outras técnicas.

+ de 60
projetos

Tecnologias:

in situ:
Pump&Treat
 AS/SVE
MPE/DPE
Oxidacão quimica
Remediação termal
Eletrocinese/oxidação
Biorremediação/Atenuação Natural
Barreira hidrauica​​

ex situ:
Escavação/destinação final/célula de aterro
Acompanhamento/fundo de cava
Gerenciamento

Plano de
Intervenção

É um documento onde são definidas as medidas de engenharia, institucionais e de remediação que deverão ser implantadas para que as pessoas que convivem em uma área contaminada tenham o risco da mesma ser controlado para um uso seguro do local.

+ de 100
processos executados

Objetivo:
Determinar as ações para recuperação do local contaminado

Escopo​:
 Descrição do risco 
 Descrição conceitual das medidas de intervenção propostas
 Análise de viabilidade de implantação das alternativas selecionadas
 Relatório de Acompanhamento do Plano de Intervenção
 Obtenção de Parecer Técnico para Uso Seguro da Área
 Obtenção do Termo de Reabilitação para Uso Declarado

Modelagem
Matemática

É o modelamento matemático da pluma, identificada na etapa de investigação detalhada, com o objetivo de avaliar o caminhamento futuro (5, 10, 15, 20 anos ou mais) da pluma e quais locais a mesma poderá atingir.

+ de 20
projetos

Fluxo de Água Subterrânea
 Transporte de contaminantes​
Atenuação Natural​
Gerenciamento de Recursos Hídricos​
Sistemas de Informação Geográfica​
Zoneamento Hidrogeológico

Avaliação de
Risco à Saúde Humana

Modelo matemático por onde é possível estimar se a contaminação existente na área poderá, potencialmente, causar um risco às pessoas (receptores) que trabalham e/ou residem na área.

+ de 150
processos executados

Objetivo: 
Determinar se existe risco à saúde da população exposta aos contaminantes provenientes de áreas contaminadas, acima do nível de risco estabelecido como aceitável.​​

Escopo: 
 Manipulação e consolidação de dados 
Avaliação da exposição e Análise toxicológica
Quantificação de risco, análise da sensibilidade
Cálculo das metas de remediação
Propostas de intervenção ou gerenciamento de risco

Investigação
Detalhada

Processo pelo qual, através de uma investigação direta de solo, água subterrânea e/ou vapor, se define a extensão de uma contaminação.

+ de 300
processos executados

Objetivo:
Avaliar detalhadamente as características da fonte de contaminação e dos meios afetados, determinando os tipos de contami­nantes e suas concentrações, bem como a área e o volume das plumas de contaminação, e sua dinâmica de propagação.

Escopo:
› Intrusão de vapores
Amostragem multi incremento
› Amostragem passiva
› Alta resolução (MPI)
› Cromatógrafo de campo
DPWS: Direct Push Water Sampling
› PCB in situ

Avaliação
Preliminar

Análise das práticas realizadas no imóvel e das atividades executadas no mesmo que possam ter causado uma contaminação. Este processo tem como resultado a identificação de Áreas Fontes que tenham a suspeita de uma contaminação.

+ de 200
processos executados

Objetivo:
Avaliar a àrea com base nas informações históricas disponíveis e inspeção do local, visando encontrar evidências, indícios ou fatos que permitam suspeitar da existência de contaminação na área;

Escopo:
Revisão de documentos;
Caracterização detalhada da atividade da propriedade/empresa;
Avaliação do histórico de uso da propriedade e operações
Avaliação visual dos usos do solo
Interpretação e avaliação de fotografias aéreas temporais
Recomendação quanto à necessidade de ações adicionais para mitigação e/ou eliminação do passivo e condução de novas investigações caso necessário.

Investigação
Confirmatória

Esta é uma investigação direta ou indireta das áreas fontes para confirmar ou não a existência de contaminação no imóvel.

+ de 300
processos executados

Objetivo:
Confirmar ou não a existência de contaminantes e avaliar a geologia local.

Escopo:
› Intrusão de vapores
› 
Amostragem multi incremento
› Amostragem passiva
› Alta resolução (MPI)
› Cromatógrafo de campo
DPWS: Direct Push Water Sampling
› PCB in situ